Warning: Declaration of ryv_widget::widget($args) should be compatible with WP_Widget::widget($args, $instance) in /home/iseso/public_html/wp-content/plugins/random-youtube-video/widget.php on line 88

Warning: Cannot modify header information - headers already sent by (output started at /home/iseso/public_html/wp-content/plugins/random-youtube-video/widget.php:88) in /home/iseso/public_html/wp-content/plugins/wp-super-cache/wp-cache-phase2.php on line 60
Parceiros - Banco de Negócios Inclusivos Banco de Negócios Inclusivos

Parceiros

Array

FGV- Fundação Getulio Vargas

A Fundação Getulio Vargas foi fundada em 1944, tendo como objetivo contribuir para o desenvolvimento socioeconômico do país, para a melhoria dos padrões éticos nacionais, para uma governança responsável e compartilhada, e para a inserção do país no cenário internacional. E é por meio de alunos desta instituição que surge o BNI. Os estudantes da FGV que trabalham no BNI tem como princípio aplicar os conhecimentos adquiridos em seus respectivos cursos e aplicá-los no banco, com a criação de novas tecnologias e formas inovadoras de fazer microcrédito produtivo.

ITCP-FGV

A Incubadora Tecnológica de Cooperativas Populares da Fundação Getulio Vargas (ITCP-FGV) é um Programa de Extensão Universitária que tem como missão assessorar Negócios Inclusivos como estratégia de combate à pobreza a partir de uma nova forma de organizar a economia. Sua visão é se tornar um centro de desenvolvimento e reaplicação de Tecnologias Sociais de incubação e articulação de EES em rede, promoção do comércio Justo e Solidário e desenvolvimento de serviços de finanças solidárias. Fundada no segundo semestre de 2001, a ITCP-FGV já incubou mais de 60 Negócios Inclusivos, capacitou mais de 70 Entidades de apoio e Fomento à Economia Solidária e assessorou cerca 10 programas públicos de geração de trabalho e renda. O BNI, e sua primeira agência, surgiram da constatação de que os programas assessorados pela ITCP-FGV tinham grande dificuldade de acesso ao crédito de grandes bancos para investirem. Com isso, surge por membros da ITCP a ideia de criar um banco próprio para disponibilizar crédito a esses coopera